Artigos na categoria Devocionário da Terra

131 Leituras
Nas grandes paixões sempre existe um pequenino ramo de violetas. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

162 Leituras
Rosnar ternurento. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

193 Leituras
Que luz procura quem semeia girassóis? Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

187 Leituras
Íntima ternura água florida. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

185 Leituras
Herdeiro universal da natureza. Seguiu a linha mais pura dos herbívoros. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

265 Leituras
Há coisas que nascem para nos fazer chorar. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

231 Leituras
Será a chuva a semente dos rios? Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.  

263 Leituras
Por quantas raízes se tece o íntimo da terra? Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

324 Leituras
Quando te vejo pela manhã apetece-me ser eterno. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

237 Leituras
Eis uma erva prudente agasalhada temendo que os fios do inverno lhe roubem a fragrância. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata...

323 Leituras
Para esta viçosa planta em parte alguma existe mão amiga. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

297 Leituras
Homem de coração de seiva, sonha ser primavera. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

350 Leituras
Mulher solteira. Nunca achou nabo elegante capaz de a seduzir. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

287 Leituras
Dentes tão brancos, hálito tão desagradável. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Vai no Batalha

NOS últimos dias, estes autocolante têm sido colados na cidade. Não conheço os autores, que se dispuseram a produzir numa gráfica milhares deles. Não conheço quem os financia nem qual o fim que perseguem.

Rua da Estrada

131 Leituras
REZAM lendas vindas da noite dos tempos que em Pombal vivia um mouro num grande palácio para onde trazia belas donzelas atordoadas pelas suas artes de...

Enigmatógrafo

131 Leituras
Quantos passos tem um paço?

No slogan da campanha eleitoral de António Parada para a Câmara de Matosinhos, onde se lê "António Parada Sim!" deve ler-se "António, parada? Sim." por PML