Verseto XIX

«Que te diz o tempo, sempre?» «Diz-me: Vai-te.» * «Que te dit sans cesse le temps?» «Il me dit : Va-t’en.» Texto de João Pedro Mésseder, tradução de MLP, JPM, JO, revisão de DG / CNA ...

Verseto XVIII

Temporal: talhada de tempo muito chovida e ventada. Às vezes, trovejada. * Tempête: pièce de temps taillée à grands coups de pluie et de vent. Parfois de tonnerre. Texto de João Pedro M...

Verseto XVII

O tempo dos assassinos – toda a gente o sabe, mas é preciso lembrá-lo – é sempre também o tempo dos santos e dos poetas, o tempo dos surdos e dos cegos. * Le temps des assassins – tout le ...

Verseto XVI

O teu tempo: algumas vinhetas (uma prancha?) numa imensa banda desenhada. * Ton temps : quelques vignettes (une planche ?) dans une immense bande dessinée. Texto de João Pedro Mésseder,...

Verseto XV

Ganhar tempo – para terminar rapidamente, para terminar dentro do prazo. Sim, ganhar tempo, mas, desgraçadamente, para ser escravo do tempo. * Gagner du temps – pour terminer rapidement, p...

Verseto XIV

Não é que as folhas de calendário se assemelham às grades de uma prisão?  * Ça alors! les feuilles du calendrier ressemblent aux grilles d’une prison. Texto de João Pedro Mésseder, trad...

Verseto XIII

O tempo e o vento… Libertai o vento desta velha metáfora, libertai o vento do tempo… * Le temps et le vent… Libérez le vent de cette vieille métaphore, libérez le vent du temps… Texto d...

Verseto XII

Quando se fala em pontualidade britânica, partir-se-á do princípio de que existe uma pontualidade mediterrânica, outra africana, outra dos povos da Oceânia e por aí fora? Considerar-se-á tam...

Verseto XI

O tempo é um quebra-móveis e um quebra-imóveis. * Le temps est un brise-meubles et un brise-immeubles. Texto de João Pedro Mésseder, tradução de MLP, JPM, JO, revisão de DG / CNA e ilus...

Verseto X

O tempo não passa, é o corpo que passa, são os seres e as coisas que passam. * Le temps ne passe pas, c’est le corps qui passe, ce sont les êtres et les choses qui passent. Texto de Joã...

Verseto IX

Horário – não, não é uma invenção calvinista. * Emploi du temps – non, ce n’est pas une invention calviniste.   Texto de João Pedro Mésseder, tradução de MLP, JPM, JO, revisão d...

Verseto VIII

Há o que pensa : O tempo não nos pertence, somos nós que pertencemos ao tempo. E há o outro que pensa: O meu tempo pertence-me, sou eu que faço o meu tempo. * Il y a celui qui pense : Le ...

Verseto VII

Não era o tempo o que a fiel Penélope enganava ao tecer e destecer o sudário de Laertes, mas sim os pretendentes à sua mão de rainha. * Ce n’était pas le temps ce que la fidèle Penelope tr...

Verseto VI

Eu recordo, eu esqueço, eu conto, eu recito, eu imagino… É assim que conjugo o tempo… * Je me souviens, j’oublie, je raconte, je récite, j’imagine… C’est comme ça que je conjugue le temps....

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Rui Rio (1957)

NA política, como na vida, palavra dada deve ser palavra honrada. A política precisa de banho de ética, não pode valer tudo. (...) Hoje não tenho a minha palavra ética presa a qualquer compromisso. Posso decidir livremente. Hoje estou disponível para estar com os dois pés no PSD e no país. 

Rua da Estrada incógnita

ESCREVEU Fernando Pessoa (que continua sendo cidadão muito estimado): A primeira verdade da sociologia — ciência, aliás, conjectural e imperfeita — É que a humanidade não existe. Existe, sim, a espécie humana, mas num sentido somente zoológico: há a espécie humana como há a espécie canina. Fora disso a expressão humanidade pode ter somente um sentido religioso — o de sermos todos irmãos em Deus, ou em Cristo. Entre o sentido zoológico, que está aquém, e o religioso, que está além, da sociologia, não cabe sentido nenhum. Sociologicamente, não há humanidade, isto é, a humanidade não é um ente re...

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

A roda dentada tem incisivos?

Errata

No reclamo do hospital do grupo Trofa Saúde situado em Gaia, onde se lê “Hospital Privado de Gaia”, deve ler-se, “Gaia privada de hospital”, por PML