Lúcia-lima

/ 1625 leituras
Casal pacífico; ninguém até hoje lhe conhece o mais pequeno desentendimento. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro. SOBRE O AUTOR: Francisco Duarte Mangas (Ros...

Regador

/ 835 leituras
Nostálgico artefacto, ora é nuvem no solo; ora chora abundantemente quando o levantam e inclinam sua mão para a terra. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro. ...

Ervagem

/ 343 leituras
Diz-se assim quando as ervas emigram. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro. SOBRE O AUTOR: Francisco Duarte Mangas (Rossas, 1960) foi professor três ano...

Rosmaninho

/ 1230 leituras
Rosnar ternurento. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro. SOBRE O AUTOR:Francisco Duarte Mangas (Rossas, 1960) foi professor três anos e jornalista durante quase...

Verão

/ 524 leituras
Gosto do cheiro a sargaço inserto na palavra; outras vezes é a sua sombra que procuro. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro. SOBRE O AUTOR: Francisco ...

Manjerico

/ 1178 leituras
Luminoso nome, cheira a madrugada. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Cebola

/ 735 leituras
Há coisas que nascem para nos fazer chorar. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Cerejeira

/ 772 leituras
Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Buganvília

/ 465 leituras
Enternece a labareda da buganvília a alastrar no muro branco. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro. SOBRE O AUTOR: Francisco Duarte Mangas (Rossas, 19...

Maio

/ 529 leituras

Cravo

/ 2754 leituras
Em que cor pensas quando digo cravo? Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro

Ervadura

/ 133 leituras
Não há água mole que a perturbe. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro. Francisco Duarte Mangas (Rossas, 1960) foi professor três anos e jornalista duran...

Primavera

/ 741 leituras
Quando te vejo pela manhã apetece-me ser eterno. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro.

Gato

/ 188 leituras
O silêncio ronrona no afago do sol. Texto de Francisco Duarte Mangas e ilustração de Renata Carneiro. Francisco Duarte Mangas (Rossas, 1960) foi professor três anos e jornalista d...

Tabuleta Digital

Vai no Batalha

Rui Moreira (1956)

Se houver cuidado e proteção está-se a contribuir para uma concorrência leal. Os bons empresários estão interessados neste acordo porque a concorrência mais desleal é aquela que descuida a segurança e a proteção dos trabalhadores.

Rua da Estrada de Atenas

ANDAVAM os antepassados da Angela Merkel nas cavernas por entre ursos e outras barbaridades, quando Péricles edificava Atenas antes das guerras do Peloponeso.  Era assim o mundo, aos encontrões, como sempre. Depois de edificar a Acrópole verificou-se que custava muito lá subir e muito ventosa. De íngreme que era e de caminhos mal empedrados, as quadrigas patinavam e viravam-se de rodas e pernas para cima. Então, depois de muitos séculos prodigiosos, conseguiu-se finalmente domesticar os cavalos de uma maneira diferente de modo a que coubessem às dezenas e às centenas nos motores dos automóv...

Enigmatógrafo

Enigmatógrafo de Augusto Baptista

/ 706 leituras
As chaves do Paraíso são Yale?